Troca de experiências - mina de ouro do associativismo

Troca de experiências – mina de ouro do associativismo empresarial!

Como tem ocorrido a troca de experiências na sua rede ou central de negócio? Além do poder de barganha e compras mais assertivas, é possível ter outros benefícios ao realizar a troca de informações entre associados e gestores.

Nosso intuito neste artigo é que você descubra mais sobre essa prática. E ainda, o quanto ela pode contribuir ao seu negócio, à empresa dos demais membros e à rede ou central. Continue a leitura e saiba porque você deve colocar hoje a troca de experiências em ação!

A troca de experiências não é tão simples

O que queremos dizer com isso? Na realidade o processo em si é muito tranquilo, porém, a disseminação dessa prática é que demanda dedicação de todos.

No texto sobre como engajar membros passivos, falamos de práticas que contribuem ao maior interesse dos associados pelas ações realizadas na rede ou central. Nele ainda pontuamos que o engajamento pelo exemplo é um bom caminho a seguir.

A troca de experiências também deve ser difundida pelo exemplo. Não se trata de algo complexo, que necessite planejamento. Pelo contrário, tudo pode ter início através de uma reunião com todos os integrantes.

Quando gestores identificam que alguma estratégia – uma campanha ou promoção – deu certo a alguém, é feita a aplicação em outro membro. É preciso ir além disso, é possível ir além disso.

O que impede?

Como já mencionamos, a falta de engajamento é uma das grandes responsáveis pela pouca troca de experiências, mas não só isso. Poucos parâmetros e estratégias que não são realizadas corretamente também influenciam na falta desta prática.

Então, é preciso que as ações realizadas por cada associado sejam devidamente planejadas e possíveis de serem mensuradas e analisadas. Isso permitirá a propagação dessas práticas aos demais, criando um círculo de informações que podem ser aplicadas por todos.

O papel do gestor

Papel do gestor: ajudar associados

Relatamos que o gestor, ao analisar a estratégia que funcionou a um associado, resolve indicar a um outro membro a mesma ação. Isso também cabe ao gestor. Porém, é ele quem pode dar o primeiro passo para melhorar esse ponto.

Por que deve começar pelo gestor? Com ajuda da Plataforma AC, ele consegue ter uma visão clara de métricas, de quais associados possuem boas práticas e os que podem estar pecando diariamente por não conseguirem enxergar ou estarem acomodados.

Quer um exemplo? Utilizando KPIs o gestor identificou que o associado X tem um ticket muito alto e o associado Y não. Isso levando em consideração que ambos contam com mesma consultoria e suporte. Percebido essa mudança, o gestor se aprofundou no assunto e identificou que o comportamento do associado X perante seus colaboradores era diferente.

O associado X promoveu o engajamento com os colaboradores e realizou o estudo da localização da sua loja para conquistar novos consumidores, desenvolveu promoções bem pensadas, tinha um propósito e desenhou objetivos claros em seus planejamentos. Esses pontos influenciaram na mudança de ticket entre esses associados.

Então, entra o trabalho do gestor de identificar pontos que podem ser melhorados pelo associado Y. Mas, cabe também ao gestor ser o intermediador entre esses dois, incentivando encontros e trocas de dados sobre essas e outras ações.

Perceba que o associado X pode apresentar seu planejamento desenhado às campanhas – nesta em que o associado Y não se saiu tão bem – enquanto o associado Y pode apresentar ao associado X os ótimos resultados alcançados com a reestruturação do seu PDV, por exemplo.

É preciso criar uma maior conexão entre os membros da rede ou central, já que muita informação valiosa tem ficado reprimida. Tanto para melhorar pontos falhos, como para alavancar ainda mais as estratégias que tem dado certo.

Ganhos com a troca de experiências

Mas no que de fato agrega a troca de experiências? Confira alguns, dos muitos benefícios que essa ação pode oferecer aos membros da rede ou central:

  • Disseminação da informação contribui na inovação
  • É uma prática que se caracteriza como um diferencial competitivo
  • Cria uma sensação de pertencimento em cada associado, tornando-o agregador, que faz a diferença
  • Permite que ideias sejam usadas em outras soluções, ou seja, nenhuma contribuição se perde
  • Colabora ao crescimento pessoal de cada associado, permitindo a prática do relacionamento coletivo
  • Auxilia no crescimento profissional, já que oferece contato com empreendedores do mesmo segmento
  • Compras mais assertivas
  • Maior poder de barganha com fornecedores
  • Ideias para otimizar processos e negociações
  • Dicas de economia em produtos ou serviços
  • Aprendizagem com os erros e acertos dos outros associados
  • Gratidão por poder ajudar o próximo.

Vamos mostrar com um exemplo abaixo, algumas questões que agregaram muito aos associados, quando realizadas em conjunto.

Exemplo: troca de experiência entre associados da central de negócios do Centro Histórico de Curitiba

Centro Histórico de Curitiba - troca de experiências

O Centro Histórico de Curitiba conta com uma central de negócios onde os associados têm aproveitado tudo que essa associação pode proporcionar. Vamos citar aqui dois depoimentos de associados mencionados na matéria no site do Centro Histórico de Curitiba. Eles apresentam muito bem o quanto essa troca de experiências e práticas conjuntas podem ser benéficas a todos. Confira:

“Na central, além das negociações, também trocamos dicas de gestão e de produtos, o que agrega no dia a dia de todos os empresários. Aqui o gás foi a melhor economia que o restaurante teve, economizamos R$ 900,00 por mês o que significa R$ 10.800,00 ano.” Valter – Nonna Giovanna.

“Assim como na rede, na central o principal ganho é a troca de experiências, neste caso muito em cima de produtos e serviços. Nosso principal ganho foi o gás, tivemos um ganho em torno de 20% de redução. Também gosto de citar os serviços de monitoramento e segurança no qual, juntos, obtivemos um ganho de qualidade. Passamos a contar com rondas nas empresas de acordo com os horários mais “críticos” definidos por cada associado. Acredito que temos muitas possibilidades pela frente e muitos ganhos.” Fernando – Oriente Árabe.

Confira todos os depoimentos e leia a matéria inteira clicando aqui.

Dicas para colocar em prática a troca

Você entendeu a importância de realizar essa troca, mas não sabe por onde começar? Separamos algumas dicas que você pode executar. Estas que irão contribuir na inicialização desta ação dentro da sua rede ou central:

  • Marque uma reunião com todos da rede e fale sobre o tema
  • Instigue sugestões de economia, você pode apresentar os exemplos que citamos aqui do Centro Histórico de Curitiba (veja quem teve uma economia expressiva com algo e que pode servir aos demais)
  • Fale sobre temas como finanças, transporte, ações no PDV. Fale de tudo que permita que os associados tenham insights do que eles já fizeram em relação aos temas e que deu certo
  • Crie um grupo dentro da Plataforma AC em que possam ser discutidas sugestões, quais podem ser aplicadas por cada associado, assim todos ficam por dentro das possibilidades
  • Estabeleça reuniões periódicas para facilitar também uma troca de experiências pessoalmente, assim, através da conversa cara a cara, novas ideias podem surgir.

Incentive essa prática

Não é a primeira vez que frisamos a importância das redes e centrais para que empresários possam realizar ações mais competitivas no mercado. Você viu a importância da troca de experiências, o papel que o gestor tem neste processo, benefícios e exemplos de como essa prática pode contribuir para o seu crescimento e da sua rede ou central.

Seja você, gestor ou associado, incentive essa ação onde você faz parte. Marque uma reunião com todos os membros e apresente a ideia. Peça sugestões e instigue o compartilhamento de informações, pensamentos e ideias uns com os outros.

Não cabe só ao gestor dar o primeiro passo, cada um tem o direito de fazê-lo. Novas visões e pequenas atitudes podem afetar no faturamento. Principalmente se levado à sério o painel de indicadores da plataforma e as ações que ela proporciona. Estas que podem ajudar muito na troca de conhecimento.

Confira o Kit Fundamental de Gestão que elaboramos para você elevar os resultados da sua rede ou central! Um infográfico sobre características para ser um bom gestor e um vídeo sobre como melhorar os indicadores são dois, de quatro materiais! Faça o download gratuito e confira todos os conteúdos do Kit!

Kit Fundamental de Gestão para redes e centrais de negócios

Leave a Reply