Por que os associados devem participar do planejamento estratégico da rede?

As redes, ou centrais de negócios, envolvem o interesse de muitos empresários que atuavam, até então, de forma individual. Dentro deste contexto, o planejamento estratégico tem papel fundamental no alinhamento desses interesses.

Além de agrupar as expectativas dos empresários, o planejamento permite um desenvolvimento também dos negócios individuais. Isso porque comumente todos os gestores utilizam o planejamento como ferramenta para o seu trabalho, mas, na grande maioria, adotam o planejamento informal: não escritos, com prazos relativamente curtos, baseando-se na experiência passada e ajustando situações conforme o desenvolvimento das ações.

Essa cultura é transformada com o ingresso do gestor à uma rede, ou central de negócios. Com a troca de informações entre associados, ações de treinamento, e estímulo ao desenvolvimento fomentados pela rede, os associados buscam uma maior profissionalização e adotam uma postura estratégica de alinhar ações das empresas às ações da rede. Essa é a visão do consultor e colaborador do livro “Planejamento Estratégico em Redes de Cooperação e Empreendimento Associados: para além da intuição”, Jouberto Fernando Matte.

Segundo Jouberto, consultor na constituição das redes: Toklar; Indumóveis; Agapel; CNS; Viva; Olarias; Auto Legal; Unimóbile; Metal; Fullcar; Super Passos; e Apimóveis, é preciso enxergar que a rede é uma extensão da empresa.

Indicativo de sucesso

O planejamento traz resultados imensuráveis. De acordo com Jouberto, a experiência constatada é de que nenhum empresário irá investir seu tempo e dinheiro em um negócio cuja percepção seja de que não está lhe trazendo benefíciosÉ por isso que os indicativos do resultado de um melhor planejamento e organização da rede, podem não ser apenas monetários. A demonstração de um propósito, de informações, e caminhos que apresentem uma solução viável à dificuldades individuais, como nas áreas de recursos humanos ou marketing, podem ser resultados expressivos.

A rede precisa ter como um dos indicadores de sucesso aquilo que ela se propõem a executar como rede, e que pode ser estendido aos seus associados de forma local.

Envolvimento do associado

Para que um pprojeto seja eficiente é necessário que haja o envolvimento do grupo. Dentro do planejamento estratégico da rede, o papel do associado é fundamental. “Ele precisa conscientizar-se de que é o dono da rede juntamente com os demais membros, e o que fizerem em conjunto deverá ser seguido por todos”, destaca Jouberto.

O diferencial desse planejamento será criar um caminho que tenha como base um conjunto de experiências de um mesmo segmento.

Primeiros passos

A visão de futuro é o que determina os caminhos a serem seguidos por isso, ao iniciar uma rede, a escolha dos participantes é fundamental. Para melhores resultados, o consultor indica que busquem-se parceiros que possuam um porte de empreendimentos semelhantes. “Dessa forma, os anseios não serão muito discrepantes uns dos outros. Esta visão alinhará o caminho a ser seguido”.

Os objetivos do planejamento estarão diretamente inseridos nos objetivos do empreendimento associado, facilitando as implementações, bem como o alcance das metas e a iminente motivação pelos negócios.

Resultados

O principal benefício ao participar de uma rede sempre foi a soma de experiências pelas trocas de informações. “Em uma rede os integrantes não se veem mais como concorrentes, e sim como parceiros estabelecendo estratégias conjuntas para garantir maior competitividade de seus empreendimentos”, ressalta Jouberto.

O resultado desse planejamento conjunto é a soma do tempo destinado para analisar o passado, diagnosticar o presente e discutir o futuro, isso se for estabelecida uma direção consensual sobre os rumos da Rede e de seus negócios. “Esse será o ganho intrínseco que se tornará palpável em resultados pelo desenvolvimento dos conhecimentos dos empresários”.

Fonte: Revista Acrescentar