Área Central

O desafio de administrar uma central de negócios

O mundo dos negócios não é fácil. Todos os tipos de empreendimentos possuem suas dificuldades específicas. No caso das Centrais de Negócios, vários empresários se unem para multiplicar suas vantagens. Porém, às vezes, as dificuldades administrativas também acabam se multiplicando. Quais os principais desafios para administração de uma rede e quais passos tomar nessa jornada? Confira nessa matéria as dicas da Stella Maris Beluzzi, especialista da área.

Stella Maris* teve uma experiência de oito anos como consultora especial da APAS (Associação Paulista de Supermercados) para o Comitê de Centrais de Negócios. Nesse tempo, teve a oportunidade de conhecer muitas Redes e Centrais de Negócios. Assim, compartilha conosco sua experiência através de dicas e estratégias que desenvolveu para superar os desafios administrativos desta área. Veja!

Primeiros desafios

Ao montar uma Rede ou Central de Negócios, o grupo de varejistas (seja do segmento de papelarias, supermercados, materiais de construção, etc) sempre começa muito motivado. Geralmente, os ganhos gerados pelas negociações nas compras coletivas são o grande carro-chefe motivador. É uma fase de muitos planos e ambições, onde muitas expectativas são projetadas.

Por um determinado tempo, essa vantagem é suficiente para manter a incitação de todos em torno da Rede ou Central. Contudo, com o passar do tempo, os desafios administrativos começam a surgir e é necessário muito foco e boa gestão para que o negócio permaneça unido e prosperando. Neste momento é que entra o papel do administrador. É responsabilidade do administrador da rede criar um ambiente gerador de ganhos e motivador para todos.

Dicas

Encontros

Stella conta que, segundo sua experiência e observação, “as redes mais bem-sucedidas são aquelas onde o administrador, além da geração de resultados concretos, é um agregador de pessoas, transformando cada reunião numa confraternização”. O intercâmbio de informação entre os associados é fundamental. Todos trabalham muito e quase não sobra tempo para a reunião e confraternização com outras pessoas da rede. Portanto, o espaço dessas reuniões é valioso e deve ser aproveitado ao máximo, de maneira agradável e produtiva.

Tecnologia e Informação

Para a geração de resultados consistentes, que vão muito além das compras coletivas, o administrador da rede deve contar com um sólido sistema de informações baseado num bom software de gestão. A tecnologia empregada no software escolhido pela rede fará uma grande diferença em várias etapas, seja nos processos mais simples de compras e comunicação entre associados, seja na reunião de informações estratégicas para o gestor.

Um dos maiores desafios das Centrais de Negócios é organizar os dados, gerar informação e, através disso, conseguir planejar futuras ações. As ações planejadas dessa forma são bem embasadas e, por isso, tem menos chances de darem errado. Contudo, nem sempre este trabalho é simples. Muitas redes se perdem pois acumulam muitas informações desnecessárias. Assim, não conseguem analisar todas e se projetar para o futuro. Outras, não conseguem se quer escolher quais as informações são mais relevantes para o desenvolvimento do negócio.

Vale lembrar que não estamos falando apenas das informações de compra, mas de outras informações tão ou mais importantes para o bom funcionamento da rede. Acompanhe a seguir um bom método para análise das mesmas!

Estratégias

Há alguns anos, Stella Maris tem trabalhado em dois conceitos principais para o desenvolvimento de redes: o sistema “Vale quanto pesa” e o “Índice de fidelidade”. Esses dois sistemas podem, juntos, alavancar os resultados da rede e, principalmente, da loja associada.

  • Vale quanto pesa

O sistema “Vale quanto pesa” é baseado na participação de vendas de cada loja. Quanto maior a participação no percentual de vendas, maior o poder de decisão da loja. Dessa forma, durante uma decisão, somam-se os percentuais a favor e contra e chega-se ao consenso. Vence a maior soma de participações. Esta é uma maneira de tirar o peso da decisão de uma única pessoa, descentralizando a tomada de decisões e a colocando a cargo de todos.

  • Índice de Fidelidade

Já o sistema “Índice de fidelidade” é baseado no comprometimento do associado junto à rede. É um sistema de ponderação que dimensiona o quanto cada associado está engajado nas ações da rede. Quanto mais pontos, mais benefícios este associado recebe da rede. Veja as tabelas a seguir para ter um exemplo:

Área Central

Área Central

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco!

*Stella Maris Beluzzi é Psicóloga, Pós-graduada em RH e em Administração Financeira, certificada como Professional Coach pela SLAC – Sociedade Latino Americana de Coaching em 2016. Mantem parceria com a APAS – Associação Paulista de Supermercados desde 1998. Entre 2004 a 2013 coordenou o Comitê APAS de Centrais de Negócios, além de ser palestrante na Escola Paulista de Supermercados. Diretora da Beluzzi & Ferrari empresa especializada no desenvolvimento de negócios no varejo.