Centrais de Negócios

Gestão de pessoas nas empresas e como ajudar os associados

Não é de hoje que sabemos que uma das principais dificuldades do mercado é encontrar mão de obra qualificada. Não apenas isso, como também conseguir reter talentos é um dos grandes desafios do mundo de negócios! As Centrais de Negócios, especialmente por representarem, geralmente, a união de micro e pequenos empresas, não estão de fora disso! Pelo contrário, podem ser ainda mais afetadas pela dificuldade de retenção de pessoas. Quais são as estratégias para lidar com isso? Saiba aqui como a própria rede pode se tornar um mecanismo para contornar essas dificuldades e contribuir para os associados.

Gestão de Pessoas: uma área valiosa

Podemos afirmar, com categoria, que a área de Gestão de Pessoas é a parte mais importante de uma empresa. Está surpreso? Pois bem, isso acontece pois é por meio dela que é feita a gestão do bem mais valioso que a organização possui: as pessoas.

 O capital intelectual é o principal capital de qualquer negócio. Pois são as pessoas que produzem produtos ou prestam serviços atrativos e competitivos ao mercado. São as pessoas e os resultados dos seus trabalhos que impactam diretamente no desempenho da organização. Somente as pessoas possuem habilidades, são capazes de inovar, buscar melhorias e resolver problema. Logo, são únicas, tornando-se o bem mais valioso e disputado no mercado! Então como conquistar e reter esse bem tão precioso dentro do seu negócio?

Salário retém talentos?

Óbvio que valorização da mão de obra qualificada é uma forma de retenção dos colaborados, mas engana-se quem pensa que é a principal. Há uma ênfase excessiva no papel do salário para retenção das pessoas! Luiz Stevanato, doutor em administração de empresas e professor da Faculdade de Economia e Administração da USP, ao participar de um painel sobre “A gestão de pessoas alinhada à estratégia das micro e pequenas empresas” disse que, mesmo com o aumento salarial, o trabalhador estará novamente insatisfeito em pouco tempo.

Na visão do professor há outros fatores mais relevantes para reter mão de obra: política adequada de remuneração, benefícios e carreiras; preferência a quem tem facilidade de acesso ao local de trabalho; avaliação da personalidade e de valores mais adequados à empresa; objetivos desafiadores e premiação; avaliação do desempenho e feedback; ouvir com atenção as pessoas e criar um ambiente mais acolhedor. Isso tudo não parece um trabalho fácil, não é?

Redes AssociativistasAinda segundo ele, as empresas precisam saber dimensionar e escolher diferentes sistemas de gestão de pessoas. “É preciso encontrar um caminho para conduzir a gestão de RH da sua empresa”. Ao finalizar, o professor lembrou que toda empresa, seja de pequeno, médio ou grande porte, precisa de um sistema de gestão de pessoas. E deve haver um esforço pra que ele seja adequado a sua empresa e valorize o capital intelectual dos colaboradores.

Como realizar uma boa Gestão de Pessoas?

Como vimos, as organizações necessitam estar comprometidas e engajadas com as pessoas, desenvolvendo e valorizando o seu capital intelectual, para que retenham esses talentos e obtenham sucesso. Caroline Hoffmeister, consultora da Resilient, empresa parceira da Área Central, separou 10 dicas para realizar uma boa Gestão de Pessoas:

  • Tenha um planejamento estratégico formalizado, com indicadores de desempenho voltados para a área de Gestão de Pessoas;
  • Defina as responsabilidades e o grau de autonomia de cada colaborador;
  • Selecione pessoas certas, realizando a integração delas nos primeiros dias de trabalho. Tenha um processo seletivo aperfeiçoado, contratando pessoas que estejam de acordo com os valores e estratégias da empresa;
  • Invista em Treinamento e Desenvolvimento. Desenvolvas as pessoas, incluindo lideranças, para que elas possam se desenvolver pessoal e profissionalmente, alcançando os resultados propostos. Desenvolva lideranças transformadoras;
  • Esteja atento e atualizado com relação à legislação trabalhista;
  • Apresente um plano de carreira;
  • Tenha uma remuneração compatível com o mercado e um plano de benefícios atraente para os colaboradores, podendo incluir um plano de benefícios flexíveis e benefícios não monetários;
  • Proporcione feedbacks construtivos e constantes, principalmente, para as novas gerações;
  • Invista em uma comunicação eficaz;
  • Ofereça uma boa qualidade de vida no trabalho, desenvolvendo e mantendo um ambiente saudável, um bom clima organizacional e aberto à participação de todos.

Assim, recomenda-se que as empresas incluam em seu Planejamento Estratégico as dicas propostas acima para que haja planejamento, monitoramento das ações e pessoas responsáveis por cada uma.

Da mesma forma, sugere-se que as dicas sejam implementadas por profissionais qualificados (contratados ou terceirizados) na área de Gestão de Pessoas, com o apoio das lideranças da empresa, tornando essas ações parte da cultura organizacional.

Como a Rede pode ajudar nisso?

associativismo é a organização de pessoas, empresas e comerciantes ligados a um objetivo único, com o foco principal no crescimento. No mundo dos negócios as empresas podem aumentar as oportunidades, permitindo a divisão de riscos e custos quando fazem parte de redes associativas. Mas não é só isso! Há muito trabalho “em conjunto”.

Área CentalUma das estratégias para alinhar toda a rede é aproveitar os diferentes associados para compartilhar experiências e todos se desenvolverem com isso. Outra forma é a gestão principal da rede preparar consultorias e cursos em conjunto para todos os associados e para seus funcionários, a fim de que tenham não só as “mesmas instruções”, como também uma redução de custos com Treinamento e Desenvolvimento.

  • troca de experiênciasé fundamental dentro de uma rede de colaboradores. Pense em quantas histórias e experiência cada um carrega e que podem servir como exemplo, fortalecimento e até incentivo para a própria rede e os demais associados. Compartilhar estas experiências é muito interessante, cria vínculo e integra os participantes que muitas vezes se identificam com a história do outro. Organizar workshops pode ser uma boa estratégia! Existem colaboradores com outros potenciais que podem ajudar o grupo, motivar e ensinar algo novo. Há algum associado com um bom histórico de retenção de talentos? Chame-o para conversar com os demais e compartilhar suas ações!
  • Investir no Treinamento e na Capacitação dos gestores associados é o principal meio para seguir as 10 dicas da consultora da Resilient, Caroline Hoffmeister. Quando falamos de desenvolver as pessoas, incluímos as lideranças, para que líderes transformados possam transformar seus próprios negócios! Uma ideia, nesse sentido, é a rede oferecer Treinamentos de Comunicação e Feedback aos gestores, por exemplo.
  • Outro plano é se utilizar do poder da rede para contratar não só cursos e treinamentos aos líderes e gestores, mas também aos seus funcionários. Algumas capacitações são onerosas, e as vezes é difícil para um micro ou pequeno empreendedor conseguir investir nisso sozinho para sua pequena equipe de trabalho. A rede tem a principal função de “unir para se fortalecer”! Portanto, pode oferecer um treinamento de vendas, por exemplo, a todos os funcionários de seus associados. Isso reduz custos com a contratação dos consultores e aumenta a possibilidade de troca de experiência e criação de vínculo.