“Formar gente boa é o melhor negócio que se faz”

Essa frase é de Paulo Lemann, um dos maiores empreendedores do Brasil e traduz muito bem a importância de se cultivar uma equipe forte. Alguns empresários dizem que a alma de um negócio é uma equipe comprometida e conectada com os valores e visão da empresa, que devem ser claros. Porém, a maior dificuldade destes mesmos empresários está em manter essa equipe motivada e com entusiasmo para dar o melhor de si.

Para atrair e manter os talentos, Leo Prieto, fundador da Betazeta (empresa chilena que integra dez comunidades online verticais), segue a cultura “extremamente flexível”, por exemplo, com relação aos horários. “Você precisa fazê-lo para estimular a criatividade, que é a chave para o negócio”, diz ele.

Encontrar as pessoas certas também é um fator-chave e eleger o perfil ideal elimina muitas incomodações desnecessárias. Para isso, a empresa precisa ter seu perfil ideal e também investir, posteriormente, no desenvolvimento pessoal desses talentos. Isso mostra que a empresa enxerga o potencial de cada um, muitas vezes além do que a própria pessoa consegue ver.

Claro que, nesse ponto, o colaborador necessita querer mais do que tudo e se dedicar para ampliar suas virtudes e capacidade. Isso não significa que não haverão erros, como diz o velho ditado “Errar é humano”. Contudo, erros apenas ocorrem quando se está tentando/executando algo, o que é muito positivo, pois há uma ação acontecendo. O que não pode é insistir do mesmo erro e, para isso, todo colaborador deve ser um solucionador de problemas  e um executor ao mesmo tempo.

Pense alto, as melhores empresas do mundo têm uma cultura altamente centrada em pessoas, baseadas em melhorar a vida das pessoas.

Fonte: e-book Endeavor “Como crescer rápido”