Saiba o que é benchmarking

Saiba o que é Benchmarking e como usá-lo na sua rede ou central de negócio

O entendimento sobre Benchmarking vai além do que muitos pensam. É bastante comum que ele seja considerado a prática de copiar o que a concorrência vem fazendo.

Mas, essa estratégia se baseia em processos, metodologias, produtos e serviços de empresas para identificar ações e melhorias que podem ser feitas nos demais negócios.

Não basta identificar um processo no seu concorrente e implementá-lo sem antes analisar se sua empresa tem um alinhamento semelhante ao da empresa dele.

É preciso ter consciência ao implantar o Benchmarking, ainda mais em uma rede ou central de negócio. O primeiro passo é entender muito bem metas e objetivos de cada associado e da rede como um todo.

Então, para te ajudar a compreender mais sobre o assunto e para que você consiga utilizar essa estratégia, vamos falar sobre ele, sua importância e algumas dicas de como usá-lo a favor do crescimento de todos. Confira!

O que é o Benchmarking?

Se você solicitar a tradução no Google para a palavra Benchmarking ele dirá que é uma avaliação comparativa. Mas, ele pode entendido também como referência.

Ou seja, trata-se de um processo de constante observação e análise da concorrência, verificando processos, metodologias, práticas, produtos e serviços utilizados por eles.

Porém, o foco está na melhor prática e não necessariamente no melhor resultado.

Nesse sentido, é importante entender que nem tudo que for bom e funcionar no seu concorrente vai funcionar para o seu negócio. É importante avaliar os processos da sua própria empresa. Isso com o intuito que você não saia das metas e objetivos estabelecidos.

Então, para encerrar o entendimento sobre o que é o Benchmarking, veja abaixo uma imagem que retiramos do site Viver de Blog que, ao compará-lo com a pesquisa de concorrência, nos ajuda a entender com clareza as diferenças entre eles.

Benchmarking versus pesquisa de mercado

Benchmarking para pequenas empresas

É comum encontrarmos empreendedores que acreditam que esta estratégia só pode ser aplicada em grandes empresas.

Mas, pequenas empresas também podem se beneficiar dele, apenas é preciso enxugar as informações analisadas, a fim de que se tornem aplicáveis em negócios menores.

Benchmarking: importância, vantagens e desvantagens

Você deve estar se questionando por que deve começar a usar essa estratégia no seu negócio. O que ela vai agregar no dia a dia da sua empresa? Nas vendas? Na conquista de mais clientes?

Ela vai te ajudar a ter insights de melhorias que você pode aplicar nos processos da sua empresa. Além disso, essa estratégia te ajuda a criar uma cultura aberta a novas ideias e motiva a equipe a alcançar metas que já que tem como exemplo as conquistas de outras empresas no mesmo processo. E ainda, aumenta o reconhecimento do negócio no mercado e possibilita a otimização de recursos e tempo.

Se você se manter muito focado a enxergar apenas as práticas do seu negócio, a reciclagem de informações que você já dispõe fica muito mais difícil.

Ao analisar o concorrente, novos dados são incrementados ao que você já vem fazendo. E assim, com eles é possível encontrar novas formas de realizar a mesma ação com mais eficiência e qualidade, por exemplo.

Ao fazer o Benchmarking você também conhece mais seus clientes. Isso porque você passa a perceber como sua concorrência trabalha com esses clientes que ambos disputam. E você pode identificar o contrário: ações que seu concorrente realiza e que não trazem resultados, ou seja, que precisam ser evitados.

Porém, existem também algumas desvantagens nessa estratégia. Não são todas as empresas que estão dispostas a compartilhar informações e é preciso analisar o contexto da sua empresa antes de aplicar metodologias já consolidadas em outros negócios.

Além disso, limitar-se a só copiar sistemas já implementados pode levar a poucos resultados. Muito foco na concorrência, sem alinhamento com a missão e valores da sua empresa, pode ocasionar na perda de identidade da sua empresa.

A questão mais importante que pode ser levantada sobre essa estratégia é que ela permite que sua empresa evolua, tenha ideias inovadoras e tenha uma nova perspectiva da presença da sua empresa no mercado.

Tipos de benchmarking que podem ser realizados

Análise de dados

Pesquisamos sobre quais formas essa estratégia pode ser aplicada, então vamos apresentar todas as possibilidades que identificamos.

Benchmarking Interno

Ele vai analisar metodologias e práticas adotadas por departamentos dentro da própria empresa.

E vai além. Se a empresa possui filiais ou outras empresas do mesmo segmento em parceria – como é o caso em redes e centrais de negócios – pode-se usar esse modelo de para identificar boas práticas já efetuadas por uma empresa associada que podem ser aplicadas em outros associados.

Contudo, o Benchmarking Interno não é o mais ideal para ser aplicado em pequenas empresas, devido a pouco ou nenhuma existência de departamentos bem divididos.

Porém, se sua empresa é pequena e faz parte de uma rede ou central, é possível adotar esse modelo, pois você pode ter como referência as empresas dos demais associados.

As vantagens da aplicação dele estão na maior interação entre as pessoas dos departamentos ou entre os integrantes.

Benchmarking Competitivo

Você já deve saber, mas nunca é demais reforçar. Ao se tornar integrante de uma rede ou central, a empresa que antes era sua concorrente, hoje é sua parceira de negócios. Por isso, quando você adere ao associativismo, seu contato com os associados é de crescimento mútuo e parceria na lucratividade.

Lembrado isso, o Benchmarking Competitivo é um dos tipos mais praticados no mercado, já que visa analisar minuciosamente, ou o quanto é possível, todas as práticas, ações, metodologias e processos realizados pela concorrência.

Ele também é o mais difícil de implementar, já que certas informações podem ser mais complicadas de adquirir. Nele você compara seus processos e ações com os da concorrência, identificando pontos em que pode melhorar.

Benchmarking Funcional

Basicamente foca em uma atividade específica da empresa e por isso pode pegar como “referência” qualquer empresa, de qualquer segmento. Um exemplo seria focar no processo de estocagem de produtos.

Kit Fundamental de Gestão

Benchmarking de Cooperação

Esse tipo pode ser muito bem aplicado nas redes e centrais. No texto que falamos sobre a troca de experiências no associativismo empresarial, é enfatizado isso, mas de uma forma não tão formal e estruturada.

Para que você entenda, ele ocorre quando duas empresas estabelecem uma parceria de troca de dados e informações sobre processos, metodologias e boas práticas que ambas executam.

Ou ainda, ele também ocorre quando uma empresa decide abrir suas portas para que outra possa aprender sobre seus processos e ações.

Então, indicamos que sua rede ou central busque praticar o Benchmarking de Cooperação. Ele usa métricas e a análise das práticas para validar se as mudanças têm oferecido de fato bons resultados para o seu negócio, dentro da rede ou central.

Benchmarking de Processos

A comparação é feita entre processos similares, porém em negócios diferentes. Um exemplo é você analisar o sistema de e-commerce de uma loja de pet shop, enquanto a sua empresa está focada na venda online de material de construção. O que importa nessa análise é “como é feito”.

Benchmarking Genérico

Ao analisar outra empresa você define um foco mais amplo, como a tecnologia, por exemplo. Então, você analisa quais tecnologias esse negócio usa e de qual forma.

O Benchmarking Genérico vai avaliar o que existe de melhor e inovador sem se limitar a funções, segmentos e ambientes. Pode-se coletar técnicas de uma atividade para aplicá-la em outro processo totalmente distinto.

5 fases para colocá-lo em prática

Subir degraus 5 etapas do benchmarking

Na internet é possível encontrar algumas formas de aplicá-lo. Então, após pesquisarmos, o processo que compreende 5 fases básicas, apresentado no livro Benchmarking – O Caminho da Qualidade Total, do Robert C. Camp, é um bom passo a passo de como implementar essa estratégia. Confira:

Planejamento

1 – Identificar o que marcar para referência
2 – Identificar empresas que servem como referências
3 – Determinar o método de coleta de dados e efetuar a coleta

Análise

4 – Determinar a atual “falha” de desempenho
5 – Projetar futuros níveis de desempenho

Integração

6 – Comunicar as descobertas do benchmarking e obter aceitação
7 – Estabelecer metas funcionais
8 – Desenvolver planos de ação

Ação

9 – Implementar ações específicas e monitorar progressos
10 – Recalibrar os marcos de referência (benchmarking)

Maturidade

11 – Posição de liderança atingida
12 – Práticas plenamente integradas aos processos.

É importante lembrar que essas etapas devem ser continuamente analisadas e alteradas quando necessário. Ao trabalhá-lo dessa forma, será muito mais fácil acompanhar a evolução da sua empresa, rede ou central como um todo.

Dicas para facilitar o Benchmarking nas redes e centrais

Dicas e ideias de benchmarking

O processo já apresentamos acima, agora vamos pontuar algumas dicas que podem ser muito úteis na implementação dele na sua rede ou central.

Esteja acessível

A maioria dos tipos de benchmarking que apresentamos podem ser praticados pela sua rede ou central. Mas existe algo que influencia muito em qualquer um deles: estar acessível.

O que queremos dizer com isso?

O Benchmarking é uma troca, onde se aprende com quem é referência em determinado processo ou metodologia. Assim como você e sua central estão em busca de melhorias, outras redes e centrais também desejam fazer o mesmo.

Quanto mais houver crescimento do seu segmento no mercado, mais fortalecido e aquecido para os negócios ele será.

Aplicando na rede ou central

Trazendo esse conceito e aplicando nas redes e centrais de negócios, ele pode ser trabalhado de duas formas: na primeira possibilidade um associado passa a analisar outro associado. Na segunda, um associado ou a rede como um todo, podem analisar uma grande potência no segmento supermercadista, por exemplo.

Não se limite ao mesmo segmento, boas práticas podem surgir de outras áreas. Nesse sentido, você pode escolher através do mercado, aspectos similares ao seu negócio ou, até mesmo, usar como critério o mesmo porte ou mesmos clientes.

Um ponto importante e que recomendamos, é a rede ou central fazer o benchmarking interno antes de analisar os maiores concorrentes dos associados no mercado.

Mesmo que cada associado já tenha suas metas e objetivos bem traçados, sempre é possível aprender algo com os demais integrantes.

Uma reunião com troca de experiências é um bom começo. Mas é preciso mensurar. Identifique o que precisa ser mudado e quem tem um processo mais rentável. E então, estabeleça prazos e ações para que esse processo possa ser acompanhado de perto.

Esse Benchmarking inicial entre os associados servirá como exemplo e permitirá o  aprimoramento para que, quando decidirem aplicá-lo em grandes concorrentes, já tenham noção de como ele funciona na prática.

Área Central pode ser uma parceira de Benchmarking

Você deve estar confuso quanto ao que a AC pode ajudar nesta questão. Por isso, vamos te dar um exemplo.

Um cliente nosso, gestor de uma rede, entrou em contato conosco pois nos considera referência no assunto. Através dessa conversa ele analisou vários pontos, questionou modelos, erros e acertos de outros segmentos iguais aos dele que alavancaram a associação.

Então, esse Benchmarking Funcional proporcionou muitos insights, sendo uma ação muito positiva. Primeiro porque essa procura por nós como uma fonte valiosa de informações e boas práticas é algo que buscamos constantemente. Segundo que cada vez mais gestores estão interessados nesse formato de referência.

Nesse sentido, essa visão ampla que temos das redes e centrais contribuiu e ainda contribui para que muitos dos erros e acertos que ocorrem, nossa plataforma possa ajudar a identificar.

O que fazer com toda essa informação, afinal?

Você viu que falamos sobre o que é o Benchmarking, sobre como usá-lo nas pequenas empresas, importância, tipos e fases para colocá-lo em prática. E ainda, vantagens, desvantagens e algumas dicas para implementá-lo nas redes e centrais de negócios.

Independente de qual você escolher, todos podem agregar muito nas suas práticas e na rede ou central.

Quando você abre sua empresa, a análise dos possíveis concorrentes é essencial, certo?

Com o Benchmarking você tem a possibilidade de continuar analisando. Não para copiar, mas para identificar melhorias que podem ser feitas no seu negócio.

Sobre a AC estar disponível para auxiliar através do Benchmarking, você pode nos contatar sempre que precisar. Não é só você que terá acesso a informações que podem gerar insights. Nós também aprendemos muito com essas trocas.

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Escreva nos comentários!

Se quiser ter dicas para melhorar os resultados da sua rede ou central, confira o nosso Kit Fundamental de Gestão!

Kit Fundamental de Gestão

Leave a Reply