Área Central

Associativismo empresarial beneficia PMEs

Não é novidade no meio empresarial que as estratégias de associativismo trazem inúmeras vantagens para pequenas e médias empresas. Sempre que se atua em parceria, independente do tipo de sociedade, é possível conseguir melhores condições de compra, reduzir os custos operacionais e ter acesso a diferentes mercados. Para PMEs é mais difícil enfrentar concorrência de grandes corporações. Investir no associativismo fortalece os pequenos e médios negócios, tornando-as mais competitivos e gerando um crescimento estável e seguro.

Cooperativismo

A cooperação entre diferentes empresas permite compartilhar serviços, processos e investimentos. Como resultado disso, é possível investir em estratégias de rentabilidade e diferenciação, aumentando o poder de competitividade.  Quando falamos de fortalecimento e ampliação de pequenas e médias empresas, as parcerias são importantíssimas aliadas desse desenvolvimento, especialmente em mercados com alta competitividade e com consumidores mais exigentes.

Na definição do que é associativismo empresarial, os ditados populares “a união faz a força” e “tamanho é documento” se encaixam com perfeição. A essência do associativismo é a  “cooperação entre empresas com interesses comuns, que visam obter vantagens econômicas e de gerenciamento por meio de auxílio mútuo”.

Que tipo de empresa pode aderir?

O cooperativismo é aplicável em empresas de qualquer segmento econômico. O fundamental é que os empresários se disponham a cooperar com outros empreendedores que utilizem a mesma matéria-prima, comercializem os mesmos produtos ou prestem o mesmo tipo de serviço. Ou seja, é possível entre qualquer tipo de empresas do mesmo setor.

Porém, para ser efetiva, é necessário um grupo mínimo de empresas que, após estudos de viabilidade econômica, possam arcar com os custos de implantação e de manutenção de uma central de serviços compartilhados.

Exemplos de empresas que praticam o associativismo são as redes de cooperação, centrais de compras e centrais de negócios. Essas são parcerias entre empresas do mesmo segmento que se associam para usufruir de vários benefícios, tais como: compras coletivas, marketing compartilhado, logística e treinamento e desenvolvimento de pessoas.

Esse tipo de união permite ampliar a escala das empresas e conquistar fatias de mercado maiores. Além do mais, ao compartilhar experiências e melhores práticas, é possível melhorar o modelo de gestão do negócio, reduzindo custos e aumentando a rentabilidade.

Centrais de Negócios

As Centrais de Negócios são um bom exemplo de parceria empresarial que já está se consolidando no Brasil. Elas são compostas por pequenas e médias empresas e entregam diversos benefícios a um custo de entrada e manutenção muito baixo – especialmente se comparado às franquias ou atuando como empresa independente.

Redes de Negócios

As Redes de Negócios também são alternativas viáveis e que se espalham com rapidez pelo país. Elas se beneficiam muito realizando investimentos em conjunto, como campanhas de marketing e cursos profissionais, por exemplo. Um exemplo é um case de uma rede de móveis e decoração. Eles apostaram apostou na integração do comércio físico com o virtual ao desenvolver sua plataforma de e-commerce. O objetivo de gerar uma experiência diferenciada aos clientes, direcionar o fluxo para as lojas físicas e ampliar a variedade de produtos disponíveis para os clientes. Dificilmente isso teria sido possível atuando de forma independente, pois é um investimento alto.

Área Central

Cooperação entre concorrentes

Até lojas concorrentes podem se aliar para crescerem juntas. Parece estranho? Pois cooperar para superar problemas comuns é uma estratégia inteligente para essas empresas. Imagine duas empresas localizadas na mesma rua ou no mesmo espaço físico (como um centro comercial ou shopping). O problema em comum destas empresas é atrair potenciais compradores para aquela área. Se fizerem uma promoção conjunta, por exemplo, provavelmente chamarão a atenção do público. Dessa forma, a concorrência só começará após o cliente estar próximo ou dentro do ponto de vendas. E aí cada equipe deve demonstrar sua competência para reter o comprador.

10 benefícios do associativismo empresarial

Abaixo, a lista dos dez benefícios do associativismo empresarial. A fonte é da Revista Dealer, edição 64 e Boletim Informativo da Redexpert.

  1. Redução dos custos operacionais

    Unidos é possível obter melhores condições de compra. Também desenvolver estratégias de vendas e estimular o desenvolvimento técnico e profissional dos colaboradores e empresários.

  2. Acesso a novos mercados 

    elevação do padrão de qualidade dos produtos e serviços. Minimização dos custos e possibilitando seu acesso a novos mercados consumidores.

  3. Marca coletiva

    A utilização de uma marca forte, de abrangência regional ou nacional, nas fachadas e nas campanhas promocionais gera credibilidade e maior fluxo de clientes.

  4. Marketing coletivo

    A marca coletiva proporciona a otimização das estratégias de marketing e o aumento do impacto das ações comerciais. Também contribui para redução de custos e acesso a veículos de comunicação de grande impacto.

  5. Conceito de loja

    Padronização das fachadas. Layout interno e externo e veículos. Uniformização e aparência dos funcionários. Informatização e modernização de processos operacionais e gerenciais. Tudo isso proporciona melhorias significativas no conceito das lojas associadas.

  6. Troca de experiência e melhores práticas

    A união proporcionada pelo associativismo capacita os empresários a pensar coletivamente e permite a troca de experiências que os faz crescer coletivamente.

  7. Ferramentas de gestão compartilhadas 

    Desenvolvimento de automação comercial ou industrial são tecnologias que demandam investimentos elevados. Mas quando o custo e risco é compartilhado, o acesso a estas tecnologias se torna mais simples e seguro.

  8. Capacitação de Pessoal

    A qualificação dos empresários e seus funcionários proporciona melhorias na gestão do negócio, na qualidade do trabalho e no atendimento aos clientes.

  9. Lucratividade

    Estratégias comerciais mais eficazes, processos operacionais e gerenciais mais eficientes e aplicação de melhores margens de comercialização. Essas características fazem com que as empresas apresentem um aumento em seu faturamento e na lucratividade.

  10. Parcerias Estratégicas 

    Universidades, polos tecnológicos, agências de pesquisa, órgãos governamentais, entidades de fomentos ao desenvolvimento dos pequenos médios negócios nacionais e internacionais são facilmente acessadas pelas empresas que integram associações ou centrais de negócios.