5 dicas para realizar a gestão de conflitos nas redes e centrais

A gestão de conflitos é essencial não apenas dentro das empresas, mas também nas redes e centrais. Isso porque, o número de pessoas envolvidas nos processos é ainda maior, aumentando as chances de desentendimentos.

Antes de qualquer coisa, é importante que tenhamos em mente que essas relações envolvem seres humanos e que eles pensam, sentem e podem ter opiniões diferentes sobre um determinado assunto.

Nesse sentido, para ajudar sua rede ou central neste ponto, iremos apresentar 5 dicas para que exista uma melhor administração de conflitos neste modelo associativo! Continue a leitura!

O que é a gestão de conflitos?

A gestão de conflitos é um conjunto de ações realizadas com o intuito de estabelecer uma relação tranquila e que traga resultados – neste caso – entre os associados.

Ela tem como objetivo resolver impasses e divergências entre os envolvidos sem prevalecer a opinião ou pensamento de nenhuma das partes. Isso buscando não prejudicar o crescimento da rede ou central e o relacionamento dos associados.

Essa gestão pode ser trabalhada não só entre os membros em si, mas também entre o gestor e eles ou entre departamentos.

1 Tenha e incentive a empatia

Tenha e incentive a empatia

A empatia basicamente é a capacidade que a pessoa tem de se colocar no lugar da outra pessoa em determinada situação. Pode parecer estranho, mas ela é muito relevante em relações empresariais, principalmente porque este meio já carrega o aspecto de “ser frio e sem sentimento”.

A verdade é que em negociações conjuntas e relacionamentos comerciais, não só pode, como se deve implementar a empatia para tornar essas conexões mais humanas e duradouras.

Quando acontecer um problema com outro associado e você notar como isso tem prejudicado o desempenho dele, ofereça ajuda, mesmo que seja apenas uma conversa.

Ou, se for algo que você possa contribuir para solucionar, por que não tomar a frente e mostrar que está à disposição? 

Estar aberto a notar as dificuldades dos demais e ser capaz de sentir empatia pelos desafios que o outro passa, com certeza irá colaborar para uma melhor gestão de conflitos dentro da sua rede ou central. Isso se cada um ajudar, seguindo o exemplo.

2 Valores da rede ou central devem estar bem definidos

Esse é um dos pontos que não só dizem respeito a você, mas a todos os membros deste modelo de negócio no qual você faz parte.

Assim como uma empresa, este negócio associativo precisa ter valores claros e transparentes, já que eles servirão para nortear a conduta dos associados.

Isso irá colaborar para que todos tenham uma postura individual que condiz com os valores. E ainda, essa definição irá favorecer para que a ética e os princípios morais caracterizarem o comportamento geral, sem distinguir por cargo ou posição da pessoa dentro da rede ou central.

3 Realize o engajamento e motivação dos integrantes

Incentivar a interação entre os associados, como a troca de experiências, colabora muito para que os conflitos sejam mínimos, se não nulos, dentro das redes e centrais.

Quanto mais os integrantes trabalharem juntos em negociações e resoluções de problemas, mais fácil será existir a empatia – que comentamos acima – e mais tranquilo será o relacionamento entre eles.

O engajamento e envolvimento de todos nas questões da rede ou central, não só impactam para existir uma relação tranquila, como também influenciam nos avanços e nas boas negociações deste modelo de negócio com o mercado.

Fazer reuniões e incentivar a troca de vivências irão torná-los muito mais motivados para conquistar a rentabilidade, não só individualmente, mas principalmente no coletivo.

Se os associados estão desengajados, confira dicas para melhorar esse aspecto no conteúdo Central de Compras – como engajar os membros passivos.

4 Dê e solicite feedback

O feedback é uma das maneiras mais eficazes para se manter um relacionamento bacana entre os integrantes de uma rede ou central de negócio.

Através dele é possível esclarecer pontos e situações que não ficaram claras, solicitar uma opinião sobre determinado trabalho, bem como, questionar em quais pontos que você ou os demais podem melhorar, por exemplo.

Ou seja, se trata de uma troca de sugestões e/ou opiniões em relação a todas as questões que dizem respeito a sua atuação e a dos demais como associados e empreendedores.

Claro, é preciso utilizar uma linguagem e um tom de voz que permita uma conversa tranquila e sem ofensas. Não faça uso apenas de feedbacks positivos. 

É muito importante que você utilize esta ferramenta principalmente para feedbacks que evoluam e desenvolvam as pessoas, deixando claro que os processos/ações realizadas precisam mudar para crescimento de todos.

E ainda, é essencial que você encontre formas mais sutis para dizer algo não tão positivo, caso contrário conflitos podem surgir, mesmo que a intenção inicial seja a melhor.

Se você tem dificuldade com algum processo ou não está satisfeito com algumas atitudes de algum associado em específico, peça ajuda para tirar suas dúvidas e converse abertamente com este integrante. 

Mencione o que não lhe agrada, mas lembre-se de enfatizar pontos que ele vem acertando. Isso ameniza os pontos negativos da conversa e ajuda para que seu feedback seja recebido com mais receptividade.

5 Trabalhe uma comunicação clara do início ao fim

Tenha uma comunicação clara do início ao fim

A comunicação é um fator decisivo para o desenvolvimento das redes e centrais de negócios. Poder de barganha com fornecedores, campanhas eficientes e preços competitivos colaboram para que este modelo de negócio avance no mercado.

Contudo, se a comunicação for falha e existirem conflitos internos, sejam eles entre associados ou entre associados e gestores, essa estrutura pode se tornar frágil e todos os demais esforços e estratégias de crescimento podem se perder com facilidade.

Para que exista uma atuação interessante, é indispensável que os membros tenham um relacionamento de confiança e respeito para que as ações sejam sólidas e tragam resultados a longo prazo.

As informações devem ser passadas com clareza, as reuniões devem contar com atas, mudanças em processos e ações devem ser confirmadas por e-mail. E ainda, ao serem delegados trabalhos aos integrantes, é essencial que se utilizem canais de comunicação que permitam ser verificadas as conversas.

Se você é gestor ou associado, sempre que precisar passar uma informação adiante, seja claro, conciso e mencione o máximo de detalhes sobre o que e como precisa ser feito. Cada um fazendo sua parte, não só o trabalho irá fluir, como a convivência entre todos será tranquila.

Já existe um software de gestão na sua rede ou central? Se sim, ele oferece vários canais de comunicação para tornar mais rápida e assertiva a interação entre os associados?

Se você não conhece a Plataforma Inteligente da Área Central ou tem interesse em saber como ela permite efetuar uma comunicação eficaz entre os integrantes, clique abaixo e solicite gratuitamente uma demonstração!

Solicitar demonstração da plataforma AC

Leave a Reply